Em parceria com a Ajinomoto do Brasil, FPJudô levará 18 atletas para estágio técnico no Japão

Atletas e técnicos envolvidos no projeto Ajinomoto/FPJudô/IKB Japão 2019 reuniram-se no Centro de Aperfeiçoamento Técnico para entrega do material esportivo e checklist final da viagem

Intercâmbio Técnico no Japão
10 de setembro de 2019
Por ISABELA LEMOS I Fotos BUDOPRESS
São Paulo – SP

Nesta terça-feira (10), diretores da Ajinomoto do Brasil, dirigentes da Federação Paulista de Judô (FPJudô), atletas e técnicos reuniram-se no Centro de Aperfeiçoamento Técnico (CAT) da federação paulista para entrega do material esportivo e checklist final da viagem ao Japão no Projeto Ajinomoto/FPJudô/IKB. Essa parceria inédita entre a Ajinomoto do Brasil e a FPJudô tem o intuito de proporcionar estágio e intercâmbio técnico de alta qualidade aos judocas que ocupam o topo do ranking paulista da classe juvenil (sub 18) nas categorias masculina e feminina.

Francisco de Carvalho enfatizou a necessidade de os atletas representarem São Paulo adequadamente

Com duração de 20 dias, o roteiro contempla as cidades de Tóquio e Katsuura, na província de Chiba. A delegação embarca em São Paulo (SP) na madrugada do dia 3 de outubro e chega ao Japão no dia seguinte. De 4 a 16 de outubro, a equipe ficará em Katsuura, hospedada na tradicional e conceituada International Budo University, que ministra cursos especializados em artes marciais. Nessa universidade, serão realizados treinos diários de dois períodos com 120 judocas faixas-pretas.

Após o dia 16, os atletas e comissão técnica retornarão à capital japonesas e se hospedarão no Instituto Kodokan, primeira escola de judô, fundada em 1882 pelo shihan Jigoro Kano. Durante seis dias, os atletas vão treinar na Shotoku Gakuen Junior & Senior High School com judocas dos 15 a 18 anos. A equipe chegará de volta ao Brasil no dia 22.

Alessandro Puglia exibe Amino Vital, suplemento alimentar oferecido aos judocas que irão ao Japão

Alessandro Puglia, o presidente da FPJudô, explica que a parceria visa a proporcionar aos jovens da classe sub 18 uma imersão na cultura japonesa, de forma a influenciar positivamente sua formação. “A proposta da parceria que estabelecemos com a Ajinomoto do Brasil é levar jovens que ainda estão dando os primeiros passos rumo ao alto rendimento e que, a partir de toda a vivência que terão no Japão, possam dar continuidade ao seu desenvolvimento técnico e cresçam ainda mais”, disse o dirigente.

Para o presidente de honra da FPJudô, Francisco de Carvalho Filho, levar os atletas paulistas ao berço do judô mundial faz com que se sintam motivados e valorizados. “No passado, a federação paulista viveu uma experiência similar ao levar um grupo de jovens judocas à França, acompanhados pelo professor João Gonçalves. Esses atletas selecionados eram em sua maioria do Centro de Excelência (Projeto Futuro) e acabaram tornando-se atletas de ponta e parte da seleção brasileira. Todos os praticantes querem ir ao Japão para conhecer o judô técnico e original. Acho que vai ser de grande valia para o currículo de todos, técnicos e professores. Lembro que esse projeto só é possível graças à parceria com a Ajinomoto do Brasil, à qual a FPJudô proporcionará sem dúvida a devida contrapartida”, afirmou o presidente de honra.

Judocas observam atentamente ao depoimento do sensei Shimotsu

Destacando valores e princípios que fundamentam o budô, Seiji Takagi, o diretor de operações da divisão de aminoscience da Ajinomoto do Brasil, ressalta a importância de os jovens judocas aprenderem o judô e a cultura do Japão, e terem a oportunidade disseminá-los a pessoas próximas. “Eminentemente o judô é budô, e ambos são muito importantes no processo de educar e formar bons cidadãos devido à riqueza ética e filosófica que possuem. Além de ser um esporte olímpico, o judô é um caminho que tomamos para fortalecer o físico, a mente e o espírito de forma integrada. Os jovens que vão ao Japão têm um grande futuro pela frente, e na volta terão a importante missão de repassar o conhecimento adquirido nesta viagem aos amigos e colegas de treinamento”, afirma Takagi.

O coordenador técnico da FPJudô, Joji Kimura, explicou que essa iniciativa busca também resultados para os Jogos Olímpicos de 2024 e 2028. “Acredito que esse intercâmbio, a médio e longo prazo, tem dois aspectos importantes. O primeiro é a formação cultural e de conduta dos judocas. O segundo são as experiências que irão obter para as próximas competições olímpicas. Quanto mais frequentes forem esses intercâmbios, melhor será para todos. Então, um ponto forte é trazer do Japão o que eles têm de melhor, principalmente em relação a disciplina, cultura e respeito ao próximo”, expôs Kimura.

Seiji Takagi, diretor de operações da divisão de aminoscience da Ajinomoto do Brasil

O chefe de delegação, Yoshiyuki Shimotsu, acredita que, apesar de o ensino do judô brasileiro não ser tão diferente do japonês, do qual se originou, na viagem todos poderão resgatar certos ensinamentos que foram alterados ou perdidos ao longo dos anos da prática da modalidade no país. “É bastante importante que os judocas passem pela experiência de lutar com pessoas da mesma idade e com bastante experiência; afinal, os atletas do Japão estão muito preparados. Aos professores, a viagem também oferecerá grande aprendizado sobre como é feito o ensinamento no país do sol nascente”, acrescentou o chefe de delegação.

A professora Solange Pessoa acredita que esta é uma oportunidade única para todos, pois a equipe passará por locais que são grandes referências no judô e, a partir desta experiência, ela conseguirá aprimorar o conhecimento que transmite aos alunos diariamente. “Minha motivação nesta viagem é conhecer as novidades em metodologia de ensino, treinamento tático, preparação física e emocional para inovar nossos treinos no Brasil, além do privilégio de conhecer mais a cultura japonesa. Gostaria de agradecer à Federação Paulista de Judô e à Ajinomoto do Brasil por confiarem e acreditarem no meu trabalho”, diz Solange.

Diretores da Ajinomoto do Brasil e dirigentes da FPJudô

O professor Paulo Ferraz Alvim Muhlfarth ressaltou a importância de visitar o país em que o judô foi criado. “Ir ao Japão, o berço da nossa modalidade, onde tudo se iniciou, e buscar conhecimento técnico e cultural é de extrema importância para a faixa etária dos atletas que estão participando. Acredito que seja uma experiência sensacional para eles, que a levarão para suas vidas inteiras. Eles também estarão assegurando um futuro promissor dentro da modalidade, porque já são líderes do ranking da federação, muitos já têm diversos títulos e eu acho que essa viagem ampliará o caminho e a visão deles sobre como se faz verdadeiramente o judô. Com certeza, a FPJudô sai na frente com essa parceria com a Ajinomoto do Brasil”, declarou o professor.

Francisco de Carvalho Filho, presidente de honra da FPJudô

Delegado regional da 12ª DRJ Mogiana, o professor Cléber do Carmo já visitou o país em 2003 e acredita que este intercâmbio vai acentuar o desenvolvimento técnico dos atletas e, principalmente, acrescentar experiência de vida. “O ganho que os atletas terão conhecendo e vivenciando uma nova cultura e, de certa forma, um novo tipo de treinamento certamente agregará qualidade tanto à parte técnica quanto a suas vidas pessoais; afinal, o Japão é o berço do judô. Tive a oportunidade de ir lá há 15 anos e realmente encontrei uma cultura totalmente diferente da nossa, a qual vai engrandecer nossos atletas. Acredito que sairão ganhando atletas, comissão técnica e Federação Paulista de Judô.”

Professor kodansha Yoshiyuki Shimotsu, chefe de delegação que irá ao Japão

O professor Marcos Elias Mercadante destacou que a delegação que vai ao Japão é composta pelos melhores judocas da seleção paulista sub 18, que estão sendo premiados com uma viagem a um país disciplinado, que segue a rigor a filosofia do judô. “Os atletas entenderão o porquê de os japoneses darem tanto valor ao judô, que por trás dele há disciplina, caráter e honestidade. Além disso, irão encontrar uma parte técnica muito forte, porque os japoneses se dedicam demais a seus treinamentos e buscam sempre o ippon, pontuação máxima do judô. Será muito produtivo esse treinamento de alto rendimento, que proporcionará um aprendizado sobre a cultura japonesa e toda a disciplina do país – e isso os atletas vão carregar para toda a vida”, pontuou Mercadante.

Veja abaixo os atletas, professores e dirigentes que participarão do projeto conjunto da Ajinomoto do Brasil e da Federação Paulista de Judô com apoio do Instituto Kodokan do Brasil.

Seleção paulista sub 18 feminina

Feminino

Superligeiro         Alline Cristina Silva                            (Judô Kyoei)

Ligeiro                   Paloma Abreu Soares                        (Clube Internacional de Regatas)

Meio-leve             Ana Beatriz da Silva                           (São João Tênis Clube)

Leve                      Carolina Caldas Lima                        (Associação de Judô Calasans)

Meio-médio         Sarah Vieira de Souza                       (Associação Marcos Mercadante)

Meio-médio          Júlia Roberta Henriques                   (Judô Clube Mogi das Cruzes)

Médio                    Maria Eduarda Paiva Diniz                               (Projeto Olhar do Futuro)

Meio-pesado       Anna Júlia da Silva                             (Judô na Faixa Team)

Pesado                 Beatriz Furtado Freitas                      (Esporte Clube Pinheiros)

O professor Takanori Sekine passa orientações sobre padrão de conduta e postura aos atletas contemplados com a viagem ao Japão

Masculino

Ligeiro                   Gabriel Anselmo de Arruda             (Clube Paineiras do Morumby)

Meio-leve             Felipe Breintenbach de Lima           (São João Tênis Clube)

Meio-leve             Caio Kenji Yokota Kiwada                 (Associação de Judô Araçatuba)

Leve                      Matheus Roberto Pereira                  (Sesi – SP)

Leve                       Vinicius Ardina                                    (Sociedade Esportiva Palmeiras)

Meio-médio         Gustavo Santos Gomes                    (Judô Praia Grande)

Médio                    Gabriel Bondezan de Freitas            (Clube Athletico Paulistano)

Meio-pesado       Carlos Eduardo de Macedo              (Judô Praia Grande)

Pesado                 Bernardo César Cabrera                   (Associação de Judô Araçatuba)

Seleção paulista sub 18 masculina

Comissão Técnica

Alessandro Panitz Puglia – Presidente

Yoshiyuki Shimotsu – Técnico

Cléber do Carmo – Técnico

Solange de Almeida Pessoa Vincki – Técnica

Paulo Ferraz Alvim Muhlfarth – Técnico

Marcos Elias Mercadante – Técnico

Isabela Lemos – Assessora de Imprensa

Shimpei Ashina, gerente de área sênior da Ajinomoto do Brasil

Técnicos responsáveis

Os atletas selecionados para a viagem ao Japão são os respectivos líderes das categorias de peso no ranking paulista, e todos estão embarcando neste projeto sob a responsabilidade dos professores Alexandre Lee, Clube Paineiras do Morumby; Paulo Ferraz, São João Tênis Clube; Marcelo Kiwada, Associação de Judô Araçatuba; Omar Miquinioty, Sesi – SP; Alberto Betencourt, Judô Praia Grande; Vanessa Bilard, Judô Kyoei; Pedro Nery, Clube Internacional de Regatas; Marcos Dagnino, Clube Athletico Paulistano; Cláudio Calasans, Associação de Judô Calasans; Marcos Mercadante, Associação Marcos Mercadante; Jefferson dos Santos, Projeto Olhar do Futuro; Vlamir Dias, Associação de Judô na Faixa; Sumio Tsujimoto, Esporte Clube Pinheiros; Denílson Moraes Lourenço, Sociedade Esportiva Palmeiras; e Renato Yoshio Kimura, Judô Clube Moji das Cruzes.

Seiji Takagi faz entrega de material esportivo

Bruno Koga Nagafugi, especialista de aminoscience faz apresentação do suplemento alimentar da Ajinomoto

Seiji Takagi faz entrega de material esportivo

Os judocas que irão ao Japão receberam um kit completo ofertado pela FPJudô, Adidas e Ajinomoto do Brasil

Alessandro Puglia, Seiji Takagi e Francisco de Carvalho

Alessandro Puglia, Bruno Koga Nagafugi, Shimpei Ashina, Seiji Takagi e Francisco de Carvalho

Cleber do Carmo, Solange Pessoa, Alessandro Puglia, Takanori Sekine, Yoshiyuki Shimotsu, Francisco de Carvalho, Paulo Alvim Muhlfarth e Joji Kimura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *