É ouro! Rafaela Silva, campeã de tudo no judô, enfim sobe ao topo do pódio no Pan em Lima e os judocas Cargnin e Juninho Bomba conquistam prata e bronze

Em seu terceiro Pan, depois de prata e bronze, campeã olímpica supera dominicana Ana Rosa por ippon na final e conquista ouro que faltava na carreira. Cargnin é prata e Juninho, bronze

Por Fabio Grijó e Lívia Laranjeira/GloboEsporte.com — Lima

O segundo dia do judô nos Jogos Pan-Americanos teve Brasil x República Dominicana em dose dupla, em duas das três finais desta sexta-feira. Rafaela Silva encarou Ana Rosa no peso até 57kg enquanto Daniel Cargnin enfrentou Wander Mateo até 66kg. A campeã olímpica na Rio 2016 levou pouco mais de um minuto para aplicar o ippon e levar o ouro que faltava em sua carreira. Na primeira decisão, Cagnin tinha perdido para Mateo por waza-ari a menos de um minuto para o fim da luta. O terceiro brasileiro em ação no dia, Jeferson Santos Jr., o Juninho Bomba, levou o bronze ao derrotar o mexicano Eduardo Araujo.

– Com certeza (era a medalha que estava faltando na coleção). Eu estava me cobrando tinha um tempo. No primeiro Pan-Americano eu fui prata, nos últimos Jogos (do Pan) eu fui bronze. O ouro eu não tinha, não cheguei perto. Então era uma coisa que vinha cutucando na minha cabeça. Jogos Pan-americanos são sempre amarrados, estou muito feliz com meu resultado. Quis vir também como preparação para o Mundial. Sou muito competitiva. Se puder competir todo fim de semana, eu competiria. Difícil falar que foi fácil, mas é resultado do trabalho que venho fazendo no tatame – afirmou ao SporTV.

Rafaela Silva comemora o ouro inédito — Foto: Reuters

Rafaela Silva comemora o ouro inédito — Foto: Reuters

Rafaela leva terceira medalha no Pan

Campeã mundial sub-20 em 2008, mundial adulta em 2013, mundial militar em 2015 e olímpica em 2016, Rafaela Silva chegou a Lima sem o ouro em Jogos Pan-Americanos. Em Guadalajara 2011, ficou com a prata e, quatro anos depois, em Toronto, saiu com o bronze.

+ Campeã olímpica se reconstrói inspirada no personagem Zé Pequeno+ Na estreia do judô, jovens Renan Torres e Larissa Pimenta, de 20 anos, são campeões do Pan

Agora, em Lima, Rafaela começou a jornada enfrentando a americana Amelia Fulgentes pelas quartas de final do peso até 57kg. Fulgentes levou três advertências (shidos) e, com isso, foi desclassificada por ippon. A americana, para evitar a pegada de Rafaela, fez ataques falsos, o que acabou levando às punições. A brasileira foi às semifinais, contra a cubana Anailys Dorvigny. E, em 35 segundos, a brasileira definiu o combate: ippon na caribenha para chegar à segunda final de Pan na carreira.

Rafaela Silva na final pelo judô no Pan de Lima — Foto: Pedro Ramos/ rededoesporte.gov.br

Rafaela Silva na final pelo judô no Pan de Lima — Foto: Pedro Ramos/ rededoesporte.gov.br

+ Confira o quadro de medalhas dos Jogos Pan-Americanos Lima 2019+ Siga as disputas em Lima 2019

Desta vez contra a dominicana Ana Rosa. Foi a segunda vez que a Rafaela e a Ana Rosa se enfrentaram. Em abril, Rafaela venceu justamente em Lima, na semifinal do Campeonato Pan-Americano. No ranking mundial, a Rafaela é a atual quinta colocada e a adversária é a 66ª.

Cargnin e Juninho Bomba conquistam prata e bronze

No masculino, o judô brasileiro conseguiu mais duas medalhas hoje: a prata de Daniel Cargnin na categoria meio leve (até 66 kg) e o bronze de Jefferson Junior, o Juninho Bomba, na categoria leve (até 73 kg). Cargnin vinha de vitórias sobre o mexicano Nabor Castillo e o venezuelano Ricardo Valderrama, mas não conseguiu a vitória na final contra o dominicano Mateo Wander, que aplicou um waza-ari e manteve a vantagem até o fim da luta, controlando os ataques do brasileiro. Juninho Bomba conseguiu o bronze ao derrotar o mexicano Eduardo Araujo com um ippon.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *